- guia de um ordinário vernáculo -


segunda-feira, 23 de abril de 2012

MEMORIAL DE UMA FOGUEIRA ou LEMBRANÇAS DE UM DOIDO BISPO ou DE COMO O SILÊNCIO DE UMA HEREGE MATOU TODA UMA CIDADE ou simplesmente A BRUXA RUIVA E O BISPO DE FLANDRES


MEMORIAL DE UMA FOGUEIRA ou LEMBRANÇAS DE UM DOIDO BISPO ou DE COMO O SILÊNCIO DE UMA HEREGE MATOU TODA UMA CIDADE ou simplesmente A BRUXA RUIVA E O BISPO DE FLANDRES

(para letícia zumaeta,
a que em outras encarnações
foi a bruxa do capeta)


e então não sabes que vivi?

fui homem
fui padre
por arranjos de meu pai
fui bispo
mas o principal é que
fui rico!

fui santo
fui mais que santo
fui espada da justiça
de nosso senhor:
fui inquisidor.

nasci em flandres
e saudades eu tenho
dos meus castelos
e do cheiro de incenso
que senti naqueles tetos.

comi bem e enterrei muitos
vivi bem e enterrei muitos
cantei ri rezei e a muitos enterrei.

e queimei
quemei muitos
queimei muitas
queimei livros queimei quadros
queimei tudo que havia por aquele
lado.

achei bruxas
e queimei muitas
e quando aquela ruiva
me apareceu:
ah, meu deus, meu inferno
aconteceu.

era ruiva
era bruxa
sabia contar e escrever
coisa louca e estranha de se ver.

condenei em nome de deus
sem nem pensar duas vezes
beijei meu próprio anel
e fiz o sinal da cruz:
as chamas ela iria ver,
ai jesus.

na noite alegre e triste
o raio da justiça (eu)
cantando louvor a deus
me vesti de pluvial
e empunhei meu báculo pastoral.

nas chamas ardentes
joguei a bruxa
e gotas de água aspergi
abençoando o fogo santo
que tudo iria consumir.

ela – demoníaca -
não gritou
ela não chorou
ela só me olhou.

olhar de bruxa
nem deus ajuda.

e nem deus
nem o diabo
me acudiram
quando eu chorei
em crises de riso.

os diáconos
os padres
os monges
as freiras
meus irmãos bispos
a santa comissão
acompanhando
o arcebispo doido
de tanto rir
da desgraça que iria vir.

a bruxa ruiva, meu deus, queimou
e suas cinzas vermelhas eram:
cor de fogo de seus cabelos
e loucura na minha cabeça.

a peste, meu filho, chegou
e aos monte nos castigou
meu povo todo morreu
e o bispo ria e ria
e dizia que deus é um ator.

a peste, meu deus, chegou
depois que a bruxa queimou
depois que o bispo pirou.

fui homem
fui padre
fui bispo
quase cheguei a cardeal
mas a peste me pegou
e virei
etcétara
e tal.

23/04/2012

1 comentários:

Leticia Zumaeta disse...

Fantástico! *-* Sabia que ia gostar, mas não que ia ser TÃO bom assim. Adorei, de verdade (até soltei um gritinho, vish). E eu sei que insisti pra caramba pra você escrever, mas é só porque eu sou sua fã, velho! ahahaha Obrigada pela homenagem, minha peste (no pun intended). Beijão <3

Postar um comentário