- guia de um ordinário vernáculo -


quarta-feira, 4 de março de 2015

UM POEMA FLAVIANO

UM POEMA FLAVIANO

e pelo que contam
disse Deus:
haja luz
e barcos rasgaram o horizonte virgem
e choraram abrãao, isaac e jacó
e narciso enlouqueceu tantas
e Cristo morreu de amor

e contam ainda
que construíram a torre de babel
e capitu moldou cada tijolo
todos feitos de poemas da época de ouro
quando imperadores e faraós dançavam
no escuro e em silêncio
esperando voltar ao pó

e contam mais:
que nasceu iracema do brasil
mais ou menos quando
as divas
em lira se transformaram
e a loucura de bento
nasceu em pleno carnaval

a última coisa que
me contaram
foi do abandono 
absoluto da albânia:
os mosteiros e os gatos
ficaram pra depois

já não mora na cidade das rosas
a dona de muitas linhas
e não espera mais
Santiago Eu:

o que prova
que novas terras
sempre podem ser conhecidas

e que
laços de poesia e tinta
não se desfazem
da noite
pro

dia.

(parabéns! 04/03/2015)

0 comentários:

Postar um comentário